Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária Rainha Dona amélia

Pedido de Ficha ENES PARA ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

22.07.22

f.jpeg

Os alunos que terminaram o Ensino Secundário devem requerer a Ficha ENES para efeitos de ingresso no Ensino Superior.

Formulário para PEDIDO DE FICHA ENES

 
Levantamento da Ficha ENES:  Serviços de Administração Escolar (das 9h às 16h)
Prazo previsto: três dias úteis a partir da data do pedido
 
(a partir da publicação dos resultados dos Exames  Nacionais).
 
O pagamento é efetuado no ato de levantamento.                  
Custo: consultar  TABELA DE TAXAS | https://yep.pt/cCNzCa

p.jpeg

NOVO ANO ESCOLAR E O RISCO DA FALTA DE PROFESSORES

21.07.22

falta de professores novo ano letivo.jpg

A APEE reuniu com a Direção para entender como se processa a colocação de professores. O objectivo é ajudar a ESRDA e prevenir os Pais e EE para o problema de falta professores no início do novo ano escolar.
Iremos partilhar convosco o processo de colocação de professores e as dificuldades que as escolas têm nesse processo. Fazemo-lo porque é nosso dever manter os Pais e EE informados e continuar a procurar formas de mitigar os impactos destes factos na vida do nossos filhos e educandos.
Por ser demasiado exaustiva, aqui fica uma seleção das regras do Ministério de Educação para a colocação de professores, a que a nossa escola, como todas as outras, está obrigada.

O QUE OCORREU NO ANO LECTIVO QUE AGORA TERMINOU?
A ESRDA teve 42 turmas, 18 do Ensino Básico e 24 do Secundário, todas com uma média de 26 a 28 alunos, o que representa cerca de 1.100 alunos no total.
A ESRDA tem 75 professores do quadro ao serviço. Destes:
• 3 não têm funções letivas
• 1 professora Bibliotecária só tem 1 turma
• 2 exercem, em simultâneo, funções de Embaixadores de outras iniciativas (PADDE e ARTES), o que significa que apenas lecionam meio período
• 19 estiveram em regime de mobilidade, licença sem vencimento ou baixa médica (3 dos quais são professores de Educação Especial).
Ou seja, dos professores do quadro, apenas 50 docentes trabalharam com horário completo. Pelas mais variadas e justificadas razões, 33% dos docentes do quadro não trabalharam com horário completo. 
O resultado prático desta limitação é que os horários, completos ou parciais, dos 25 docentes acima listados, tiveram que ser preenchidos por outros professores, designados de contratados. Esta contratação é dificultada por uma série de exigências que a seguir descrevemos. A estas exigências, acresce a conhecida falta de professores disponíveis.

Apesar do processo difícil, a ESRDA conseguiu contratar no ano letivo passado 48 docentes para colmatar as falhas. No entanto, apenas uma minoria destas contratações foi para todo o ano letivo, o que motivou rotação de docentes contratados, com as inerentes dificuldades de integração e adaptação e consumo de horas em tarefas administrativas. E alunos sem aulas nas respetivas turmas e disciplinas.
 
COMO SE PROCEDE À CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES?
As próximas linhas darão uma dimensão das regras que qualquer escola está obrigada a cumprir. Note-se que todos os processos decorrem na plataforma específica criada e gerida pelo Ministério da Educação.
 
Como se substitui um professor em Licença sem Vencimento (LSV)
O processo inicia-se pedindo um horário, o que apenas poderá ser feito a partir de setembro, e com um contrato válido até ao fim do prazo da LSV.
Acontece, com alguma frequência, os docentes entrarem de baixa por períodos de apenas 30 dias, que são renovados consecutivamente. Isto leva a substituições em cadeia e à rotação de professores. Inevitavelmente, entre o fim de uma contratação e o início de outra, as respetivas turmas ficam sem professor.
Note-se que estas vagas só são preenchidas se concorrerem a ela professores com a habilitação adequada e que aceitem a vaga.
E o que pode fazer a Escola para substituir um professor que entra em baixa médica de 12 dias, o período mais comum atribuído pelos Centros de Saúde? Nada. O pedido de substituição de docentes só pode ser feito quando a baixa é de 30 dias ou mais.
 
Pedidos de novos professores
Apenas em agosto, após a Escola saber quantos alunos tem e quantas turmas vão funcionar, é que pode pedir professores, mas somente para horários de Recrutamento Inicial superiores a 6H semanais. Ficam excluídos desta fase os horários de substituição de docentes em LSV e baixa médica cujo prazo termine antes de 31 de Agosto.
Após 31 de Agosto, se a escola ainda tiver horários de professores por preencher, pode então pedi-los em Reserva de Recrutamento (RR).  Após o pedido em RR ficar deserto 3 vezes consecutivas (sem candidatos) é que se passa a Contratação de Escola.
As regras da RR são as seguintes:
• Os pedidos apenas podem ser submetidos em dias pré-definidos da semana e com o prazo de uma semana. Se esse dia for uma quinta-feira, por exemplo, e a falha ocorrer numa sexta-feira, a escola tem que esperar quase uma semana para poder pedir o horário.
• Se nessa semana não aparecer qualquer professor interessado, a escola tem que esperar pela semana seguinte. Num total de 3 tentativas, ou seja, de 3 semanas.
• Imaginemos que numa dessas 3 tentativas um professor é colocado. Se esse professor não aceitar, faz-se nova tentativa na semana seguinte.
• Se, por exemplo, o docente colocado estiver doente, ocupa a vaga, mas tem que ser substituído e o processo volta ao início.
• Só após três tentativas sem sucesso é que a escola pode passar para o regime de Contratação de Escola.
 
E como funciona este regime de Contratação de Escola?
• Apesar de o nome poder sugerir uma certa autonomia da escola, ela não existe; novamente decorre tudo na referida plataforma do ME e de acordo com as suas regras.
• A escola coloca o horário, novamente num dia específico, e este fica aberto durante uma semana
• No final deste prazo, se existirem candidatos, a escola faz a sua ordenação por ordem de graduação e seleciona o primeiro da lista
• O candidato tem 48H para aceitar ou recusar o horário.
• Findo este prazo, se o candidato com a melhor ordenação rejeitar o horário, a escola escolhe o segundo da lista; que novamente tem 48H para se pronunciar. E assim de forma sequencial até ao último candidato da lista que for fornecida pelo ME à escola. Num processo que se pode prolongar por semanas a fio. E os alunos sem aulas nessa disciplina...
• Um destes candidatos aceita a vaga. Tem então 48H para se apresentar na escola. Se não o fizer ou se, fazendo, denunciar nesta data o horário, o processo volta ao início.
◦ É aqui o momento para um comentário que achamos de elementar justiça. No caso de um professor que mora longe de Lisboa e é colocado nesta fase na nossa escola com um horário incompleto (digamos 15H), é compreensível que não aceite o lugar, porque não compensa.
• O docente aceita o horário e apresenta-se na escola. Tem então que provar as suas habilitações: qualificação profissional ou habilitação própria. Por vezes, e pelas mais variadas razões, estes docentes fornecem informações erradas, imprecisas ou incompletas que a escola só pode confirmar quando este docente se apresenta na escola. Se houver erro, a escola não pode validar a atribuição do horário e o processo volta ao início. E, entretanto, vários alunos de várias turmas continuam sem professores e sem aulas dessa disciplina.
• Se após o horário ter ido a Contratação de Escola não tiver sido preenchido, pode então a escola parti-lo em horários mais pequenos, tentando assim encontrar outros docentes disponíveis e interessados nesse formato.
• Este ano, alguns horários incompletos só no 3.º período é que puderam passar a completos, e só até final de agosto.
 
Impacto do processo de recrutamento no funcionamento da escola
Para que tenha uma ideia do impacto deste processo, no ano letivo que começou a 31 de Agosto de 2021 e terminou agora, a ESRDA pediu em Reserva de Recrutamento e Contratação de Escola 89 horários, sendo que alguns foram pedidos 3 ou mais vezes. O que resultou na contratação de 48 docentes, como acima se referiu.


Como tem a ESRDA tentado mitigar o impacto de todo este processo nos nossos filhos e educandos?
Usando a boa vontade e disponibilidade dos docentes da escola para lecionarem horas extraordinárias, que a lei permite até um máximo de 5H/semana. Para além dos óbvios impactos pessoais na vida destes docentes, que naturalmente lamentamos, há o risco real de ser insuficiente. Basta que a falta ocorra em docentes de disciplinas com baixa carga horária semanal e um docente em falta representa várias turmas sem professor. Além disso, as horas extraordinárias disponíveis para os professores que existam dessa mesma disciplina podem não ser suficientes para assegurar todas as turmas afetadas.

Por todas estas razões, é possível que a ESRDA comece o novo ano escolar com faltas de alguns professores e como tal afetando algumas turmas.
 
Reunião entre os Diretores de Escola e o Ministério
Recentemente, os Diretores estiveram reunidos com o Senhor Ministro da Educação. Cientes do problema nos anos passados, o Ministério vai tentar agilizar o processo de contratação de professores.
Esperemos que as medidas que venham a ser tomadas ajudem a que o novo ano letivo se inicie dentro da normalidade.
 
PS: Além de vos informar e alertar para este problema queremos convidar-vos a serem associados da APEE ESRDA. Juntos teremos mais força!
Para saber como, visite https://apeeesrda.blogs.sapo.pt/tag/inscricao e através do preenchimento da ficha de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScC0CuO162tOIDGy9nsr-eA1UXQjKcPwvBP0Mrw3yImOH2aRw/viewform.
 
 
Obrigado!

MEGA - Manuais Escolares Gratuitos 2022/23

20.07.22

manuais.jpg

Já são conhecidas as datas de acesso aos vales relativos aos manuais escolares para o ano letivo 22/23.

A atribuição dos manuais escolares será feita através da plataforma MEGA, por meio de um sistema de vouchers.

Para aceder aos vouchers, o encarregado de educação deve registar-se na plataforma MEGA. Após o registo serão emitidos vouchers (com um código único e indicando o manual correspondente) associados ao NIF (número de identificação fiscal) do encarregado de educação do aluno. Os vouchers permitem o levantamento dos manuais escolares nas livrarias aderentes.

A emissão de vouchers tem início em agosto e segue o seguinte calendário:

  • A partir do dia 2 agosto para os alunos dos seguintes anos de escolaridade: 1° ciclo, 8° ano, 11° ano;
  • A partir do dia 9 de agosto, para os alunos dos: 5°, 6°, 7°, 9°, 10° e 12° outras ofertas formativas.

Logo que os vouchers estejam disponíveis, o encarregado de educação é notificado por e-mail, podendo verificar na própria plataforma, na sua área pessoal, se os vouchers já se encontram emitidos.

Para solicitar vouchers, os encarregados de educação deverão aceder ao site do MEGA.

Têm direito aos manuais escolares gratuitos os alunos que frequentam o ensino obrigatório em escolas públicas ou em escolas privadas com contrato de associação.

Mais informação na página da escola: http://www.esrda.edu.pt/

INFORMAÇÃO | Pedidos de Reapreciação das Provas e Exames

11.07.22

 Informação retirada da página da escola:
Na eventualidade de o aluno pretender solicitar a reapreciação da prova/exame deve ter em conta duas fases distintas:

  1. a) A consulta das provas, que se destina a permitir que o aluno possa conhecer a classificação que foi atribuída a cada questão da prova;
  2. b) A reapreciação propriamente dita, que tem início quando o aluno, após a consulta da prova, entende prosseguir o processo de reapreciação e, por esse motivo, apresenta o requerimento de reapreciação e a alegação.

Pedido de Consulta da prova 

1 – O requerimento para a consulta de prova, Modelo 09/JNE, deve ser descarregado da página da Escola, preenchido pelo encarregado de educação ou pelo próprio aluno, quando maior, e deve ser dirigido à Diretora da Escola.

2 – O aluno / encarregado de educação deverá enviar o requerimento para o seguinte email reapreciacoesexames@esrda.edu.pt.

3 – A cópia da prova será facultada ao aluno no dia útil seguinte, após o pedido ter sido efetuado, dentro do horário de funcionamento dos Serviços de Administração Escolar (SAE), das 9:00h às 16:00h.

4 – O aluno deve proceder ao pagamento dos encargos nos SAE, após o que deverá dirigir-se ao Secretariado de Exames (sala 10) para levantar a cópia da prova.

Pedido de Reapreciação 

1 - O requerimento deve ser formalizado, nos dois dias úteis seguintes à data em que a cópia da prova foi facultada, através do Modelo 11/JNE, dirigido ao Presidente do JNE.

2 – O pedido de reapreciação é acompanhado de alegação justificativa, a apresentar no Modelo 11-A/JNE.

3 - Quando a alegação não for redigida no Modelo 11-A/JNE, deve ser anexada ao referido modelo, o qual serve de folha de rosto.

4 - A validação do requerimento é formalizada mediante pagamento nos SAE.

Calendário de Reapreciações 1.ª fase

ENSINO BÁSICO 

ENSINO SECUNDÁRIO 

 Nota: Todos os modelos estão disponíveis em https://www.dge.mec.pt/modelos

Thirst Project Rainha - jogar voleibol no https://www.ambvolleyball.com/

08.07.22

3 (2).jpeg

3 Atletas federadas na modalidade de Voleibol que estudam na nossa escola e mais algumas amigas atletas estão neste momento a jogar no AMB, a representar o Thirst Project Rainha, com o objetivo de chamar atenção ao projeto e tentar angariar o máximo de doações.
Pedem ajuda para compartilhar ou doar para esta campanha no
GoFundMe.Thirst Project Portugal
 
 
Aproveitar o verão é ótimo, mas a luta para acabar com a crise da água não tira férias!
Com isso em mente, um grupo de atletas do sul e norte do país uniram-se com o propósito de organizar uma campanha de angariação para o Thirst Project Portugal.
Construir uma geração de jovens mais conscientes sobre a crise da água é um dos principais objetivos do Thirst Project, assim juntas decidimos representar o Thirst Project Portugal no AMB Volleyball Cup, o maior torneio de verão de voleibol da Europa, este ano com mais de 4200 jovens atletas, de 7 a 12 de Julho em Espinho!
As atletas da equipe Thirst Project Portugal vão competir na categoria Juniores: Maria Cruz, Filipa Mesquita, Mariana Cova, Matilde Gonçalves e Mafalda Avillez do @volley4all, Joana Soares do @ala.voleibol , Mariana Bazenga do @sca.voleibol , Beatriz Silva do @voleibolclubeviana , Madalena Avillez e Mariana Avillez do @belenensesvolei
 
Não podemos esquecer o nosso muito obrigado aos patrocinadores que tornaram este projeto possível:
@nexityportugal
@5ps_changingways
#incuscapital
@degrazie.app
#steamsmartbusinessservices
 
Vamos ajudar a campanha a alcançar a meta!
 
Dar água.jpg

2o que é thirst1.jpeg

2o que é thirst2.jpeg

Novo calendário escolar - aulas começam até 16 de setembro

08.07.22

O Ministério da Educação publicou, esta sexta-feira, em Diário da República, o despacho que institui o calendário escolar que vigora nos dois próximos anos letivos, ou seja 2022/23 e 2023/24.

No próximo ano letivo as aulas começam entre 13 e 16 de setembro e o primeiro período termina a 16 de dezembro, seguindo-se cerca de duas semanas de férias do Natal.

O segundo período arranca depois a 3 de janeiro de 2023 e termina a 31 de março, sendo este ano cumprida a pausa de três dias por altura do Carnaval, entre 20 e 22 de fevereiro.

O terceiro período começa a 17 de abril de 2023, estando também previstas as duas semanas de férias na Páscoa, de 3 a 14 de abril.

O ano letivo termina entre 7 de junho, para os alunos os alunos do 9º ano, 11º ano e 12º anos de escolaridade, e 30 de junho para os alunos do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico. Os restantes terminam as aulas a 14 de junho.

A datas em detalhe:

1 (3).jpeg

2 (3).jpeg